10.1.08

À Porta da Escola

Já há tempos aqui falei da mãe de um aluno meu do ano passado que passava (e continua a passar) os dias agarrada literalmente às grades da escola, na vã tentativa de vigiar o filho - um matulão de 17 anos - para que nada lhe aconteça.
Há dias, ia eu a sair da escola e verifiquei mais uma vez a triste situação da pobre mãe, tentando certamente vislumbrar o filho na confusão de pessoas dentro da escola.
Mais à frente, na rua, deparo com o próprio rapaz que vinha com um grupo de colegas de algum passeio entre aulas! Afinal ele não podia ser vigiado na escola, porque não estava lá!
O rapaz entrou na escola sem passar cartão à mãe, que, por sua vez, ficou certamente o resto da tarde agarrada às grades.

3 comentários:

Daniela Mann disse...

Os filhos são como o sabão, se apertarmos demais saltam da mão!

rita disse...

É uma situação ingrata, tanto para a mãe como para o filho.

Suspiro disse...

Na nossa profissão encontramos muitas situações ingratas... Infelizmente é assim!