5.9.08

O poder da persuação

Releio no livro de Actos o encontro de Paulo acorrentado com o poder político da época, neste caso encarnado no Rei Agripa, que responde ao seu discurso com a irónica afirmação: "Por pouco me persuades a fazer-me cristão..." A resposta de Paulo é exemplar: "Peço a Deus que, daqui a pouco tempo, não só tu, mas todos os que hoje me estão a ouvir, se tornem naquilo que sou, mas sem estas correntes."
Hoje chamar-lhe-íamos talvez proselitista ou algo ainda pior.
Mas arrisco afirmar que, apesar do meu feitio pouco 'pregador', eu mesma gostaria de agarrar o rosto de alguns parentes e amigos, olhá-los nos olhos e dizer-lhes sem rebuços o quanto gostaria de os ver caminhar no mesmo Caminho que sigo.
Não possuindo o poder de retórica de Paulo, deixo a Deus a persuação.

2 comentários:

Hadassah disse...

é mesmo...é muito difícil evitar ser-se um bocadinho "proselistista", nem que seja em pensamento, quando experimentamos esta Verdade.

Daniela Mann disse...

Lindo!