24.9.10

Na escola

Domesticando os alunos, que este ano me são todos desconhecidos. Decorando os nomes, tentando fazê-los deixar de passar as aulas a falar alto, bem alto, uns com os outros; impedindo que os rapazes se metam com as raparigas e elas os tratem abaixo de cão; tentando evitar confrontos e ameaças. Respondendo à letra aos engraçadinhos.
Tempos difíceis estes. Uma vez mais ou menos domesticados, podemos então passar a tentar ensinar-lhes qualquer coisita.

3 comentários:

Blog da Anabela Jardim disse...

Como professora de história, num país onde o antigo tem pouco valor, passo praticamente todo o ano letivo convivendo com esses problemas e mais a dificuldade de convencÊ-los a dar importância devida a nossa história. Aqui no Brasil, nos últimos anos, as moças é que acabam dando trabalho por passar o tempo investindo cantadas nos rapazes. Ah! Aqui rapariga é sinônimo de prostituta. kkkkkk É causa até de desentendimentos ...
Lembro-me de quando participei de um seminário na universidade de São Paulo e uma professora portuguesa proferiu uma palestra sobre a Inquisição em Portugal. No final, abriu-se espaço para o debate e um rapaz de blusa amarela levantou a mão para ter a vez de fazer a sua pergunta. A professora então, dirigiu-lhe a palavra dizendo:
- O rapaz de camisola amarela!
Ele ficou mudo e o auditório caiu na risada. A professora ficou com a pele rosada e aos poucos desfez-se o mal entendido.
Coisas da língua portuguesa ...

Kella disse...

Também estou na fase de domesticação.Não vai ser fácil, os sextos anos estão piores que nunca, com alunos de 16 anos, malcriados e insolentes.
A parte pior nisto tudo é que ainda mal comecei!

mica disse...

boa sorte