14.7.05

Pomba morta

Hoje de manhã, à ida para a escola, vi uma pomba morta na estrada. Que tristeza! Mas lembrei-me logo de uma frase da Bíblia: "Nem um pardal pode cair no chão sem que o vosso Pai o saiba. Os próprios cabelos da vossa cabeça estão contados. Portanto, não se preocupem! Para Ele, vocês valem mais do que muitos pardais juntos."

3 comentários:

JOINCANTO disse...

:)
Deus cuida de todos e de tudo!

rhhu disse...

Os pombos são um dos maiores vectores de doenças, as pombas de Lisboa têm mais vírus e bactérias que as ratazanas de Nova Iorque. O ácido úrico da urina das pombas corrói todas as estátuas e edifícios históricos. Os pombos urbanos adaptaram-se de tal forma a comer das lixeiras e a serem alimentados sem esforço por senhoras bem intencionadas nos parques das cidades e não têm predadores o que conduziu a um crscimento exagerado das populações que custa milhares às autarquias para ser controlado (são impostos). Além disso, o crescimento populacional desregrado levou a que o pombo doméstico começasse a propagar-se para fora das cidades e a ocupar os habitats de outras espécies colocando-as em vias de extinção. Continua a parecer assim tão mau?

a mãe dos miúdos disse...

de todas as vezes que li este post senti-o de maneira diferente. de todas essas vezes senti um sopro.

obrigada.

bjs
sónia