15.9.07

Escola

O facto de não ter sido provida a professora titular (por um ponto...) teve rápidos efeitos na situação que ocupo no meu grupo e era isso mesmo que eu receava.
Fui ultrapassada por três colegas. Deram-me quatro turmas, todas elas com níveis diferentes, duas turmas de CEFs (Cursos de Educação e Formação), incluindo um 9º ano, algo que nunca tive nesta escola, onde sempre dei secundário.
Em todo o caso, nem tudo é mau, já que duas das turmas eram minhas no ano passado.
Devo acrescentar: depois de anos a pedir Direcção de Turma, sem ma darem, o que teria feito toda a diferença no Concurso para titulares, é agora que me dão uma, que já não era preciso...
No entanto, isto não é propriamente um lamento, já que reconheço todas as coisas boas em estar a trabalhar numa escola de que gosto, pertinho de casa, com alunos que estimo, num horário da manhã e com dia livre!

3 comentários:

Ghernandes disse...

"todas as coisas juntamente cooperam para o bem daqueles que amam a Deus"
Deus abençoe

Anónimo disse...

Oh colega
Não diga, por favor, que tem dia livre senão ainda pensam que o passa a fazer crochet.
Eu sou titular (com pontos dados por um mestrado e um doutoramento) mas não me sinto nem mais nem menos. Tb não gosto nada desta guerra contra os titulares. Não temos culpa nenhuma e, por mim, essa divisão nunca existiria. Fixei uma frase que o Padre da minha paróquia disse e recordo-a sempre que me sinto injustiçada: "Amar é dar ao outro o poder de nos magoar". Não queremos nós cristãos amar? Então...
Que Deus nos ajude a todos que bem precisamos.
Bjs

Avozinha disse...

Cara colega anónima: Gostaria que me deixasse um nome, que é o que habitualmente peço a todos. Eu não faço guerra contra os titulares, nem poderia, pois me candidatei! Quanto ao dia livre, todos os que o têm sabem a forma como ele é usado: preparar aulas, pesquisar matérias, corrigir testes...
O padre da sua paróquia tem toda a razão!