16.11.08

Um Deus de Joelhos


Custa-me a suportar que alguém se abaixe,
se humilhe diante de mim:
isso confunde-me porque, imediatamente,
sinto toda a minha pequenez.
Prefiro antes dar que receber.
Aceitar o dom gratuito do outro
é também tornar-me devedor ante ele,
e é ainda um recordar a minha fragilidade.

Mas esta tarde, Senhor, tu ajoelhas-te,
humilhas-te diante de mim.
Sem uma palavra, vens lavar-me os pés,
e não apenas os pés mas o coração
e o espírito, a minha vida e a minha pessoa.

E é disto apenas que eu quero viver:
do dom total que me faz de si próprio,
um Deus de Amor, de perdão e de paz
que se ajoelha e se abaixa diante de mim.

Tu dizes: quando fizeres pelos outros
o que acabo de fazer esta tarde por ti,
compreenderás: viver não é
dar o bem pelo bem e o mal pelo mal,
mas partilhar aquilo que recebemos gratuitamente,
por amor, sem cálculos nem reservas.

E é de joelhos quando se é maior.

(in sdpv.blogspot.com)

3 comentários:

Vilma disse...

Gostei muito.
A mim também constrange Deus lavar-me os pés..sempre que penso nisso, fico em absoluto silêncio.

Carla Isabel disse...

POis....é isso mesmo!

Bjs

Blossom disse...

http://desperatelylookingforme.blogspot.com/

Olá Avozinha,

Nunca comentei mas sigo o seu blog fielmente..corrigi o erro que me perturbava desde o inicio no titulo do blog e só agora contornei o Blogger.
bj Blossom