7.2.09

Aguinaldo Fonseca

Há dias, no Centro de Recursos da escola, ajudei uma aluna a encontrar algo sobre este poeta da sua terra, Cabo Verde. Acontece que eu nada sabia sobre ele e adorei conhecer. Aguinaldo ou Agnaldo nasceu no Mindelo, São Vicente, em 1922. Viveu em Cabo Verde e vive agora em Lisboa. Aqui vai um poema seu:



Mãe negra - Aguinaldo Fonseca

A mãe negra embala o filho.

Canta a remota canção

Que seus avós já cantavam

Em noites sem madrugada.

Canta, canta para o céu

Tão estrelado e festivo.

É para o céu que ela canta,

Que o céu

Às vezes também é negro.

No céu

Tão estrelado e festivo

Não há branco, não há preto,

Não há vermelho e amarelo.

- Todos são anjos e santos

Guardados por mãos divinas.

A mãe negra não tem casa

Nem carinhos de ninguém...

A mãe negra é triste, triste,

E tem um filho nos braços...

Mas olha o céu estrelado

E de repente sorri.

Parece-lhe que cada estrela

É uma mão acenando

Com simpatia e saudade...

1 comentário:

mafalda.pedrasoares@gmail.com disse...

Olá!

Por acaso tem o texto do poema "Círculo" de Aguinaldo Fonseca, ou o nome de algum livro onde eu o possa recolher?
Conheço-o de o ouvir pela voz de João Villaret.
Obrigada
Mafalda