18.5.07

Num hospital lisboeta

A funcionária, de bata branca, está sentada à secretária, à frente de um computador. Tem folhas brancas e canetas diante de si. Um ar de simpática eficiência.
A paciente entra, olha para o seu sorriso e dirige-se-lhe, indagando da forma de realizar as análises que tem marcadas. Resposta pronta e eficiente:
"Como já tem as análises marcadas, basta sentar-se e aguardar que a chamem."
A paciente senta-se junto de outros pacientes e aguarda. Chamam para os mais variados lugares do hospital, mas não para os guichets de análises. Vários outros pacientes dirigem-se às filas e esperam. A paciente aguarda pacientemente uma meia hora, como lhe foi indicado.
Ninguém chama a paciente, que se torna impaciente e se dirige ao guichet e pergunta o que há-de fazer para realizar as análises.
"É colocar-se numa das filas", respondem-lhe.
Ah! Afinal ninguém a chamaria, se não se colocasse na fila para se inscrever!
Cerca de uma hora depois, a paciente sai do hospital, feitas as análises. A funcionária continua sorridente e com ar eficiente sentada à secretária. Nem uma vez tocou no computador, não escreveu nada nas folhas, não fez rigorosamente nada, a não ser desinformar.

A paciente fui eu hoje, num hospital público em Lisboa.

4 comentários:

Professorinha disse...

Hum...E daí, dessas pessoas que não sabem o que fazem nem querem saber, vem a fama dos funcionários públicos... E assim se enxovalha a reputação dos bons...

Beijos

Mu disse...

Lembro-me bem dessas idas a hospitais nas gravidezes da Maius e Minus. Mas a melhor foi em fim de tempo da Minus, barriga enorme (e eu já sou muito alta, então com aquela barriga parecia mesmo um camião), quando perguntei numa bicha do centro de saúde se não davam prioridade a grávidas; e a resposta foi:
- Porquê?! Está doente?

Ah, e sorri-me toda com as suas saudades! Venho aqui todos os dias... mas sou envergonhadita :-)))

Sonia&Mi disse...

Haja paciêcia!

Avozinha disse...

Eu é que não posso dizer o mesmo, Mu!