30.7.07

Maternidade

No seu quarto de puérpera, a minha filha partilhava o espaço com mais 3 mães e respectivos bebés. À frente dela, uma jovem mãe: 16 aninhos, mais precisamente. A visitá-la, um casal na casa dos 40 e um miúdo adolescente, de 'fones' nos ouvidos. A jovem mãe chama a enfermeira para lhe colocar o bebé no colo, que ela está ainda agarrada ao soro. A enfermeira chega e diz: "Tantos acompanhantes e ninguém é capaz de pegar na criança?" Volta-se para o senhor e diz: "É o senhor o pai?" Ele nega, aflito. A senhora, meio envergonhada, aponta para o rapazito: "É ele, é ele!" O rapaz encolhe-se ainda mais por trás da sua música, crista no ar.

Hoje, no 'solário' para onde a Rebeca foi transferida, de novo um casalinho com um bebé. A mãe dele explicará depois como foi surpreendida pela gravidez da namorada do seu filho, que ainda tem só 15 anos. Este pai é já muito mais comprometido: não tirando nunca o boné da cabeça, pega no filho com um à-vontade surpreendente!

E eu comento: se os avós não deitarem a mão, que será destas crianças?

6 comentários:

Mafalda disse...

Eu partilhei o quarto com uma rapariga de 16 anos que a dada altura me confessou estar cheia de vontade de ir para casa para "entregar" a filha à mãe e puder dormir à vontade.

maria disse...

Infelizmente é uma realidade muito, muito actual... Não me vejo nesse papel.

bjnho

Viegas disse...

Os meus mais sinceros parabéns de um amigo de longuíssima data.

Já agora, a cachopa tem nome?

zebacalhau@gmail.com

viegas disse...

Idiotice a minha, era só escavar mais um pouco no blogue... o Henrique deve estar feliz até à exaustão.

CLS disse...

Tive um pensamento semelhante em relação a uma companheira de enfermaria agora quando nasceu a Mafalda. A moça já tinha 24 anos mas era tão imatura, assim como o pai, fiquei a pensar que futuro terá aquela criança...

Margarida disse...

Avózinha
Ai as avó!!!FELIZ DE QUEM AS TEM.
Gostei do seu blog voltarei, cheguei aqui pela Lua dos Açores
Avó guida