20.4.07

Aula de Substituição

Chamam-me mais uma vez para dar aula de substituição a uma turma do 8º ano. Disciplina: Educação Física. Convém lembrar que eu dou Inglês e Alemão ao Secundário.
A funcionária mete-me na mão o Plano de Aula que o colega deixou:

Sumário: Ginástica de aparelhos, etc.
Material: Mini-trampolim. etc
Objectivos: Libertação do líquido sinovial. Activação do sistema cardio-respiratório.
Preparação psicológica para a actividade. etc. etc

E assim segue em 3 páginas.
Pois. Percebo disto à farta.
Vou até ao Pavilhão Gimno-Desportivo, o que me leva uns bons 10 minutos, já que se situa nos fundos da escola. Chove abundantemente. Procuro e encontro os alunos. Eles vão calçar sapatilhas para entrar nos ginásios. Eu não posso entrar, não vim equipada. (O equipamento de uma prof de línguas é algo muito diferente.) Fico à porta do Ginásio a vê-los a jogar à bola.
No fim dizem-me: "A aula foi fixe, setora. Oxalá o nosso prof volte a faltar p'ra semana!"

5 comentários:

Mila disse...

Lindo, adorei.
Realmente estas aulas são uma criação deveras “deslumbrante”. Mesmo no caso em que o professor de substituição seja da mesma área do professor em falta, nunca será uma aula que corra dentro da normalidade (o que hoje em dia é raro).Este processo teve um mau nascimento, mas pode ser que apareça alguma mente que o consiga por a funcionar com um pouco mais de lógica……………….
O caso que relata é digno de ser mais divulgado e se me permitir vou enviar para os meus conhecidos.Voltarei***

Sara disse...

Dizem o mesmo ao prof. de EF que vai substituir o de inglês, lol.

Adilson Marques disse...

Avozinha,
De facto não foi uma boa aula. Mas acredito que isso não invalida a utilidade das aulas de substituição, pois os países mais desenvolvidos do mundo já tenho aulas de substituição a muito mais tempo que nós e os resultados académicos deles são, de longe, superiores aos nossos. Um abraço.

Avozinha disse...

Caro Adilson: o facto de países com melhores resultados que nós terem também aulas de substituição prova alguma coisa? Alguns países com melhores resultados que nós têm também maior suicídio juvenil. O que é que isso prova?

dia-a-dia disse...

Esteve bem, cara avozinha, esteve MUITO bem, tanto na aula, como no post, já para não falar no comentário.

;)