27.6.08

Mais uma Vez, Exames

O Público de hoje coloca a questão do facilitismo nos exames. É fácil de verificar. Basta aceder ao Gave e, por exemplo, ver os critérios de correcção de uma prova de Inglês. Em várias questões se indica expressamente "(o examinando) não é penalizado por incorrecções linguísticas não impeditivas da compreensão." Assim, o professor corrector é obrigado a dar a pontuação máxima, desde que se entenda o que o examinando quer dizer, nem que o texto produzido esteja eivado de erros gramaticais crassos. Isto acaba por ser um pouco injusto para os melhores alunos, cujas respostas sem erros são classificadas com a mesma pontuação que aqueles que maltratam a bela língua de Milton e de Shakespeare.

2 comentários:

Nadine disse...

Tem razão!

nes disse...

Não sei como era no meu tempo, visto que não tive Inglês no 12º, mas acho inadmissível que numa prova de uma "língua", seja permitido mostrar desconhecimento da mesma!!! Que desculpem erros nos exames de física, ou até história, que ainda que ache mal, consegue-se perceber que não influencia o conteúdo da matéria... agora numa língua para mim o essencial para "passar" é saber escrever, falar e compreender BEM! :|