21.8.08

Aposentação

A minha colega E. mandou-me uma mensagem a dizer que acabava de se aposentar. Nada de surpresa, claro, algo que ela antecipava há um tempo. Liguei-lhe e perguntei-lhe qual a sensação. Ela está feliz e aliviada por não ter que se levantar cedo e aproveitou para pôr um monte de testes no lixo!
Esta perspectiva fez-me colocar um pouco nos 'sapatos' dela...
E foi uma sensação estranhíssima a que imaginei quando já não tiver uma ocupação profissional para desempenhar, quando não tiver que ir para a escola todos os dias. Como encherei o meu tempo? Como olharei para o material escolar nas lojas? Vou deitar fora todos os meus materiais? Que vou fazer às prateleiras de gramáticas inglesas? Como viverei sem enfrentar diariamente uma turma de jovens mais ou menos dispostos a aprender Inglês ou Alemão?
Ai! Ainda estou longe, mas já sinto a nostalgia!

3 comentários:

CrisR disse...

Pois eu apesar de ainda só ter 35 anos cada dia mais anseio pela aposentação...estou cansada da correria do dia a dia!

eu disse...

Acredito que seja complicado, ainda por cima quando se gosta do que se faz...
Tente não pensar...muito nisso!
Kiss

Jose disse...

Avózinha, deixe-me partilhar consigo algumas coisas que tenho alinhavadas para a minha reforma:

1. Nunca (mas nunca mais!!!) tocar num computador e em linguagens de programação e tornar-me um analfabeto da Era da Informação.

3. Aprender finalmente a Relatividade Geral de Einstein e a Teoria Quântica.

3. Tirar um curso de surf e queda livre.

4. Tornar-me um pintor cubista

5. Gostaria de inventar um monitor de computador em 3D, baseado em líquido, onde pudessemos manipular a informação com as mãos, mas como já larguei os computadores, tal não será possível.

6. "Paquerar" velhinhas.

7. Se possível físicamente, trabalhar numa plataforma petrolífera (se ainda houver petróleo) ou numa quinta de criação de ovelhas na Austrália.

8. Inventar um motor de automóvel que a partir da sua energia cinética, possa produzir hidrogénio, injectá-lo no motor e fazer sair água pelo escape (não estou a brincar).

9. Escrever aquele livro que está há anos na cabeça e não houve tempo. A qualidade do livro é irrelevante.

Poderia por mais umas duas ou três coisas. E estou a falar a sério.

Grande beijo corisco de S. Miguel