21.6.05

Fumo II

Os comentários fizeram-me lembrar o meu falecido cunhado C., que, já tão doente, passou algumas temporadas aqui em casa e dizia sempre aos meus filhos ainda pequenitos: "Agora o tio vai ver como está o tempo!"
Eles adoravam esse subterfúgio que não enganava ninguém. Como nos fizeste falta, C., com os teus fados e o teu sentido de humor!

1 comentário:

Ana Rute Cavaco disse...

sempre é melhor ir "ver como está o tempo" e ir para a varanda do que perguntar, já a acender o isqueiro: "não se importa que fume,não?".

estes últimos transferem para nós a responsabilidade e colocam-nos numa situação muito chata.