11.2.07

SIM

à vida, hoje e sempre.
Vencida, mas não convencida.

23 comentários:

Leonor disse...

Não esperava outra coisa.
Ao menos que seja tudo bem feito, a partir de agora, é o que desejo. É que se as coisas correrem mal, obviamente não vou gostar de ver, mas terei sempre a minha consciência tranquila!
Beijinhos

rotten_apple disse...

Estive para colocar algo assim do género no meu blogue mas ainda não me apeteceu colocar nada sobre assunto nenhum.

*

Anónimo disse...

Infelizmente os Portugueses que votaram sim apregoam a tudo e todos que agora estamos na Europa!

Pena é estarmos na Europa por tirarmos vidas, por colocarmos ao dispor de quer queira o mais fácil.... acaba com a vida de um ser e a situação ficou resolvida...quando der jeito/quer manda vir!

Deprimente para mim ter assistido ao movimento do Sim a bater palmas e a festejar de forma tão entusiasmante este assunto tão intímo.

Eu não condeno quem o queira fazer, cada um sabe de si. Para mim é tirar a vida a um inocente, mas quem assim não o entenda que faça o que lhe apetecer. Mas não sermos todos nós a pagar.

A Europa que se ouve não tem um serviço de saúde tão decadente como o nosso.

Como ficarão todos aqueles que necessita, de uma cirurgia e esperam meses ou anos? Como ficarão aqueles casais que esperam meses/anos por uma consulta de infertilidade? como ficam aqueles pais que não podem pagar vacinas que os médicos reconhecem sewr importantes mas custam balúrdiso por não estarem incluidas no plano de vacinação? como se pode deixar passar mulheres que, e aqui me desculpem, a maioria delas deixa-se engravidar porque arrisca, passar à frente ??

Como o ministro diz haver condições em todos os hospitais p/a prática do aborto e por outro lado encerra centros de saúde, maternidades em vez de aí investir?

Para quê o período de reflexão de 3 dias (o que se ouve falar)?? a mulher diz que quer porque não tem dinheiro e depois??' ninguém lhe vai dar dinheiro!

E tenho pena que depois do sim ter ganho os discursos dos direigentes seja o apregoar á vida e ao incentivo da maternidade....

Se nada nos faltasse...agora quando nos falta quase tudo é pena vermos que a não vida tem primazaia sobre a vida!

Catarina

Pastor disse...

Proponho mais um referendo com a seguinte pergunta aos portuhueses: É a favor da prestação de cuidados de odontologia e ortodoncia subsidoados pelo estado, em estabelecimento se saúde apropriado, desde que solicitado pelo cidadão necessitado deles ou o seu progenitor? SIM ou NÃO!

Pastor

Pastor disse...

Acho que devemos iniciar uma recolha de apoios ou assinaturas a partir da sugestão do movimento do NÂO, " para que cada nascimento que ocorra por vontade da mulher,a partir da implementaçõ da nova lei, possa ter um subsídio igual ao que o estado vai gastar para financiar cada IVG, por vontade da mulher.

Sara disse...

Este país é uma tristeza!Se houvesse um referendo sobre as touradas era toda a gente "Ai não! Coitadinhos dos animais..." Mas quando é para salvar vidas humanas...

Eu acho que muita gente de meia-idade votou SIM por razões puramente egoístas...apesar de serem contra a despenalização, votaram SIM para tirarem de cima de si um peso de consciência por terem feito um aborto no passado. Assim sentem-se melhores...mesmo sabendo que aumentam a probabilidade de outras pessoas cometerem o mesmo erro (que elas admitem como erro).

Sara disse...

Agora quero ver como é que o estado vai fazer isto...vai continuar a fechar urgências e maternidades é isso?? Se eu for doente de urgência para o hospital e houver uma gravida de 10 semanas certinhas na urgencia a querer abortar quem tem prioridade?...Será ela? (porque daí a umas horas já é crime então tem de se despachar?)

Anónimo disse...

Revolta-me imenso ver os nossos dirigentes falarem da Europa, da maioria da Europa, de seguirmos um modelo europeu... de fazermos como o modelo alemão...um perído de reflexão - 3 dias! mas não ouvi falarem dos 25.000 euros q as alemães recebem se tiverem o filho!

Cá é mesmo a não vida que está à frente, porque é a que menos chatice dá...
um dia mais tarde, quem sabe se os que nasçam terão qualquer coisita!

Mais uma coisinha... então despenalizar é ou não igual a liberalizar???

Anónimo disse...

Vencida mas não convencida. Mais uma!
Um abraço

Anónimo disse...

Cheguei a este blog através de um outro que abordava este tema.

segundo o que consigo perceber no que li por aqui, não se culpabiliza as mulheres pois cada uma sabe o que faz mas é um crime fazer um aborto poque é uma vida que se tira.

então eu pergunto, não é uma vida também que se tira quando se provoca um aborto em caso de violação ou em caso de deficiência. o que são estes casos menos que os outros.
quem neste país pode defenir quais os parametros de escolha para que uma criança nasça ou não. muitos adeptos do não nem sequer reflectem neste assunto, mesmo que não concordem com a questão colocada no referendo deveriam compreender que toda a lei anterior está incorrecta e que a melhor maneira é permitir que qualquer pessoa possa ter o direito de escolha.

o nosso país ainda é uma democracia, e se dizem que não tem nada a ver com o que cada mulher faz, a melhor hipotese não é mesmo a permissão para que o aborto possa acontecer em melhores condições? pois é esta a questão.

leio também aki, que quem é a favor do sim, é porque uma vez ja o fez. lamento mesmo muito que pense assim, e revolta-me saber que possa haver alguem que pense desta maneira. pela sua maneira de pensar as pessoas com uma opiniao diferente da sua é porque ja o fizeram, lamento lhe dizer que era muito triste que os 50 e tal % das pessoas que votaram sim ontem ja o tivessem feito.

ainda outro aspecto: nenhuma criança deve vir ao mundo sem ser amada, sem ter os cuidados todos que necessita, portanto é imconpreeesivel, que ache possível que uma criança nasça em qualquer condição, que vá para adopção ou que seja abandonada no caixote lixo e que fique anos a espera que alguem tome conta dela, sim pk nao faltam crianças para adoptar as pessoas e que sao hipocritas e so querem os pequenos, e os grandes os que ja passaram da idade que vivem mal e infelizes o tempo todo, ninguem os quer.

para finalizar gostava de referir, que também como li aqui, tenho pena que pense que as mulheres gravidas de 10 semanas vao ficar em fila nas urgencia para fazer um aborto e que o seu lugar vai ser ocupado. não acredito que a hipocrisia neste pais compara ortodoncios com abortos e filas na urgencia. mas... como também o dizem cada um tem a sua opiniao.

nao estou conformada de modo nenhum, estou satisfeita pois a questão vai ser resolvida da maneira que acho k nesta altura era a melhor.

Avozinha disse...

Caro/a último/a anónimo/a:
Se já cá tivesse vindo mais vezes, já saberia que me reservo o direito de apagar comentários de anónimos. E, já agora, comenta o meu blog ou os meus comentadores? É que, se comenta o meu blog, não percebeu nadinha nadinha das minhas posições! Em todo o caso, identifique-se e seja bem-vindo/a!

Sara disse...

As minhas também não percebeu lá muito bem!

Rute disse...

gostei de ler o anónimo das 7:38, não diria melhor.
Mas como é obvio respeito imenso a opinião de todos o que tem uma diferente da minha.
Um beijo

Papoila disse...

Eu não perdi a esperança de, pelo menos daqui a 8 anos, haver novo referendo sobre o tema. É o mínimo que se pode esperar, não? Ou só haveria outro se tivesse ganho o Não? Hum.... Coisa estranha, esta...

Daniela Mann disse...

Não podia estar mais triste! :(
Gostei do comentário da papoila. Parece que os referendo só servem para nos vencerem pelo cansaço!
Beijinhos avozinha e um abraço apertadinho.

dora disse...

Se há vida desde a concepção, os embriões que são criados para fins de reprodução medicamente assistida são tão vidas como os que estão na barriga da mãe. Admira-me ninguém ter falado nisto, sendo a reprodução medicamente assistida uma forma dos casais terem filhos muito desejados.
Sejamos rigorosos, sejamos justos nas nossas palavras. Estes embriões arrumados nos laboratórios têm menos direitos que os embriões que se instalam naturalmente no útero. Ninguém faz nada por eles, ninguém defende os direitos deles.
Não chega dizer "sim à vida". Isso dizemos todos, a não ser que sejamos Hitlers por dentro. Ninguém que defende o sim acha que o aborto é a solução fácil, é uma coisa boa ou um meio contraceptivo. Só acha que o aborto clandestino é um grande problema social e que despenalizar o aborto vai ajudar a evitar abortos no futuro.
Concordo que o Governo deva apoiar a família e amparar financeiramente as famílias mais frágeis e as mulheres que querem ter filhos. Quem votou "sim" não é estúpido, nem é mau, nem é assassino, nem sequer é a favor do aborto porque sim.
E muito poucas mulheres abortam porque sim, não acha, avozinha?

Anónimo disse...

Avozinha, tem todo o direito de apagar os posts dos anonimos assim como eu posso ter o direito de comentar no seu blog. se nao me identifiquei é pk não tenho nenhum blog e porque como não a conheço, nao vejo a diferença entre estar o meu nome ou anonimo. mas se faz muita questoa o meu nome e joana.

fico e a pensar se apaga todos os posts anonimos ou so akeles que expressam opinioes diferentes das suas....

se nao percebeu o que escrevi convido-a a ler de novo e ja agora com mais calma...
pois parece ser a unica que nao o entendeu

ja agora, apenas comentei no seu blog, pois nao consegui deixar de ler e de me repugnar com o que escreve assim como algumas outras pessoas que tem a sua opiniao e nao sao ameaçadas de serem apagadas. como e o caso do das 12:06...?????

percebi bastante as suas opinioes, as quais acho pena que existam... pois nao li so os seus posts mas tambem os seus comentarios noutros blogs.
qto a comentar os seus comentadores, se tivesse lido com atençao (e pelo vistos ate o fez.. pois comenta esse facto)teria reparado que o faço. pois tambem nao concordei com as suas opinioes.


peço no entanto desculpa se acha que nao sou digna de merecer comentar no seu blog pk a minha opiniao e contra a sua. pelo menos ha quem tenha lido entendido e apoiado.

Raquel disse...

Dora: "despenalizar o aborto vai ajudar a evitar abortos no futuro"? Essa é boa! É precisamnete o contrário!
O aborto combate-se com apoios! Com educação!

Papoila disse...

Toda a gente sabe que as leis proibitivas restringem as acções, ao contrário, a liberalização o que faz é tornar tudo muito mais fácil...

dora disse...

Votei com essa convicção, sim. Acredito que um médico que recebe uma mulher que quer abortar tem um poder disuasor muito maior do que um abortadeiro que não faz perguntas e só quer ganhar dinheiro. A maioria das mulheres que decidem abortar muitas vezes só precisam de um ombro, de um amparo, de algúém que lhes diga "tem outras opções" para mudar de ideias.
Acho quem por muito que nos custe, temos que ser honestos: o aborto como crime vai continuar a ser uma tragédia para as mulheres pobres e uma viagem a Espanha para as mulheres ricas.
Quero que todas tenham o mesmo direito a ser amparadas e, sempre que possível, dissuadidas a abortar. Isto é um apoio, creio eu.
E concordo que é preciso educaçao sexual, planeamento familiar - tudo isso é preciso e tudo isso anseio, para isso também é preciso mudança de mentalidades.
Concordo plenamente com aquele senhor do não que disse que as mulheres que decidem levar a gravidez adiante devem ser apoiadas. Dez, cem mil vezes mais subsídios do que quem decide abortar.
Mas quem decide abortar deve ter direito a uma segunda oportunidade, a ter filhos com saúde.

Papoila disse...

"Quem decide abortar deve ter direito a uma segunda oportunidade, a ter filhos com saúde"

Abortar = eliminar uma gravidez = matar um filho

"Quem decide matar um filho deve ter direito a uma segunda oportunidade, a ter filhos com saúde". Será?

Uma gravidez é uma benção e nunca, em caso algum, deve ser eliminada por nossa vontade...

dora disse...

Concordo que uma gravidez é uma benção. Ter votado sim não quer dizer que defenda o aborto como método contraceptivo. Só quer dizer que encaro a realidade que temos: há mulheres que abortam. É preciso perceber a natureza desta realidade e atacá-la. Levar essas mulheres a um estabelecimento de saúde parece-me uma das medidas a tomar. Não é a ideal, mas creio que as ideais também virão - precisamos de educação sexual e planeamento familiar neste país, com urgência.
E, sim, acho que uma mulher que aborta num acto de desespero - foi por essas muoheres que votei sim e não pelas que abortam por motivos fúteis que são, estou convencida, uma minoria - tem direito a reabilitar-se e a ter filhos noutra altura da vida.
O castigo está na consciência e, apesar de eu não ser crente, acho que ninguém deve achar que é Deus.
Papoila, apesar de tudo, eu acho que estamos de acordo no essencial: queremos que os filhos sejam todos bem acolhidos e desejados, que todas as mães o sejam com felicidade, que ninguém sinta necessidade ou vontade de abortar.
Eu nunca faria um aborto na vida, mas eu tive sorte na vida. Não posso julgar quem não a teve, quem é mais frágil, que é mais ignorante. Posso achar que uma pessoa que aborta porque não quer ficar gorda, não quer gastar dinheiro com uma criança ou é parva é uma pessoa horrível. E é mesmo.
Mas este debate é muito complexo, tem muitas coisas a ter em conta. Fiquei contente por ele continuar a ser feito, acho que vamos conseguir fazer mudanças muito boas falando todos, tendo votado sim ou não.

Anónimo disse...

Bem...o sim ganhou e agora vamos ver no que dá!

O que eu sei é que nunca se falou em liberalização antes do dia 11 e agora em qualquer jormal ou site já só lemos que o período de reflexão, no fundo, não vale nada, a mulher decide á vontadinha se quer ou não o filho! Isto é despenalizar ou liberalizar???

Lamento ao ver os comentadores do sim falarem no lado humano ...coitadinha da mulher, ela tem de decidir...e não se lembram do ser humano que ela carrega???

Se não temos dinheiro para tudo porquê investir no aborto??' porquê não abrir mais centros de planeamento? mais escolas com mais e melhor informação? porquê não aconselhar métodos contraceptivos que durem mais tempo??? não vi os do sim lutarem por isto! não lutam pela liberdade da mulher: quer e manda e todos pagamos.

e já agora para a Joana ... claro que essas mulheres que decidam não ter o filho vão passar á frente de quem lá está a aguardar um tratamento/cirurgia...

E não venham com histórias que as coitadinhas sofrem muito.... a maior parte das que ouvimos mostram os motivos: estava a estudar e assim não podia ir p/a faculdade; arriscou e aconteceu; esqueceu-se; já tem filhos e outro agora não; ainda é nova, tem tantos planos e nem pensar!

Solução mais fácil: tira! e todos pagamos!!!

Já estou como a Sara, se alguém, maltrata um animal vêm logo os defensores dos animais e coitadinhos e ninguém os protege. E por um filho que já vive a mulher POR SUA VONTADE É LIVRE DE O TIRAR.

Catarina