7.6.07

Injustiças no Concurso para Professores Titulares

O próprio concurso se baseia na injustiça geral de julgar um professor pelos últimos 7 anos de carreira, quando ele tem pelo menos 20... E julgá-lo com base em actos que nunca foram obrigação de um docente! Julgá-lo pelo passado, sem o avisar que o que está a viver vai ser alvo de julgamento.
Vários factores considero particularmente injustos:

> Este concurso faz tábua rasa da diferença que existe em se ter 20 ou 36 anos de serviço.

> A senhora ministra surgiu na TV a anunciar a 'benesse' de só "contarem os 5 melhores anos" na assiduidade, entre os 7 em julgamento. Mas ninguém lhe explicou que a totalidade dos 7 seria sempre muito mais justa que apenas os 5 melhores! Pelo menos, os "5 melhores" deveriam contar como média sobre a totalidade dos 7.

> Um colega esteve requisitado um ano escolar destes, a organizar uma competição desportiva a nível internacional. Tão bem exerceu o cargo que recebeu um louvor a nível nacional. Pois bem: um ano de requisição conta menos do que se tivesse estado simplesmente a dar as suas aulinhas...

> Um colega foi Director de Instalações, tratando de tudo para a construção, conclusão e funcionamento do Pavilhão Gimno-Desportivo. Pois bem: isso não dá pontos, foi ultrapassado pelos colegas que se dedicaram a ser Directores de Turma...


> Pedi em sucessivos anos lectivos que me fossem atribuídas Direcções de Turma. Não me foram concedidas, porque a escola seguia a política de usar essas horas para completar horários aos profs mais jovens, acabados de colocar na escola. Agora fazem-me uma falta....

> Foi anunciado que abririam vagas de titulares para um terço dos professores de cada escola: a minha escola tem quase 190 professores e abriram apenas 20 vagas!

3 comentários:

Alecrim disse...

Olha, eu nem comento!
Nunca gostei do ensino, mas acho que nunca se esteve tão mal por lá.

Rute CS disse...

Na minha escola abrem 5 vagas para os professores de línguas, mas concorrem a esses míseros lugares perto de 30, já que é uma escola com muitos docentes em final e carreira. Para além disso, a colega que está lá destacada por ausência de horário na sua escola de origem, concorre agora a titular (com mais pontos que muitos do quadro) e, havendo lugar para ela por força da ordenação, passa a pertencer a este quadro, tirando o lugar a um dos docentes que efectivamente já lá estava há anos. Justiça??? Não me parece...

nice disse...

Bem... ??! :(