22.6.07

Maria

Há tempos, a minha neta mais velha, três anos, teve que imprevistamente vir almoçar cá em casa. Garantida a sopinha de legumes, o melhor que lhe conseguimos arranjar à pressa foram umas salsichas de lata com batatas fritas de pacote, algo que não lhe é permitido comer com frequência. Adorou!
Agora, sempre que almoça cá, a pergunta é sacramental: "Avó, o almoço é salsichas?"

13 comentários:

Vilma disse...

:)))
Já sabe ... agora não a pode desiludir! Os avós servem para isso mesmo.

Ana disse...

Mime-as bastante...o mimo nunca fez mal a ninguém...
Quem me dera que as minhas filhas ainda tivessem Avozinha...:)

maria disse...

Uma vez de quando em quando até é saudável..há que lhe fazer a vontade..

bjnho

Ana Rute Cavaco disse...

Foi hoje o jantar dela, com arroz!
A pedido...

Vida a 4 disse...

E que bem que sabe.
A minha mãe fez batatas fritas de proposito para a Patrícia. Só avós mesmo.

Professorinha disse...

Quando eu ia a casa da minha avó pedia sempre batatas fritas com ovo estrelado... Nem sempre via os meus pedidos atendidos, mas pronto...

Beijos

Comigo, aqui disse...

são as delícias dos miúdos.

Anónimo disse...

Esses olhos verdes... são a esperança de todos os netos.

Anónimo disse...

Ainda que a despropósito da postagem inicial, cito um poema, que julgo vir a compreender:
"OS AMIGOS

Esses estranhos que nós amamos
e nos amam
olhamos para eles e são sempre
adolescentes, assustados e sós
sem nenhum sentido prático
sem grande noção de ameaça ou da renúncia
que sobre a luz incide
descuidados e intensos no seu exagero
de temporalidade pura

Um dia acordamos tristes da sua tristeza
pois o furtuito significado dos campos
explica por outras palavras
aquilo que tornava os olhos incomparáveis

Mas a impressão maior é a da alegria
de uma maneira que nem se consegue
e por isso ténue, misteriosa:
talvez seja assim todo o amor"

in "A noite abre os meus olhos", de José Tolentino Mendonça

Daniela Mann disse...

Há lá coisa melhor?L OL

Avozinha disse...

Caro anónimo: por belas que sejam as palavras que usa, convido-o, como sempre, a identificar-se.

netinho fiel disse...

Cara Avozinha
Desculpe-me. Identifico-me como netinho fiel. Se calhar, escrevo sem que as palavras se juntem para fazer sentido. A visão é um paladar estranho. Evoca paisagens sentimentais que rasuram inesperadamente o subconsciente. Sinto isto muitas vezes. Passo nas telas e não vejo nada, ou antes, olhando tudo, vejo o que toda a gente vê. Estas ruas são feitas por casas de gente, que percorrem estranhamente a minha infância num bairro distante. As sopinhas da avó, as salsichas são aquelas de que me lembro e que são minhas. E essas memórias nossas são laços de amizade que nos atam ao mundo. A impressão é de alegria e encanto de um reflexo cúmplice. Obrigado, pelo seu blogue. Desculpe, se me excedi.

Avozinha disse...

Obrigada, netinho. É sempre bem-vindo a casa da Avozinha.