18.1.07

Inacreditável

mesmo é esta história do pai biológico e dos pais adoptivos.
Quanto a mim, se o pai biológico foi avisado da paternidade ainda durante a gravidez e não quis saber, se foi avisado já com a menina nascida, e não quis saber, como é que a justiça lhe quer entregar a criança depois de tê-lo forçado a fazer análises para determinar a paternidade?
E se a mãe biológica também decidisse uns anos depois reaver a criança, entregavam-lha?
Acho que num caso destes, não deveria subsistir qualquer dúvida sobre quem são (há 5 anos) os verdadeiros pais da criança.

8 comentários:

Vilma disse...

Concordo. E quem pensa na criança? No que ela sente com tudo isto? Para ela o pai biológico é um estranho!!

rita disse...

Eu também não queria acreditar. Que país é este??? O pai biológico está a ser um oportunista, tão oportunista que só pensa nele. Que afinidade é q tem com a "filha"? Nem sequer pensa no sofrimento q lhe irá causar ao separá-la dos únicos pais q ela conheceu, já para não falar do q os pais adoptivos estão e ainda vão passar.
A minha avózinha dizia muitas vezes: "Parir é dor e criar é amor".

rutebruno disse...

só se pensam nos ditos pais... e na criança sem pensa...
visito-te muito, silenciosa normalmente, mas hoje não registi.
Um beijo

hadassah disse...

compartilho da incredulidade e acho que chega a ser absurda e ridicula toda esta "discussão" na TV... Basta sermos um bocadinho racionais e humanos para concluírmos que seria catastrófico entregar aquela bébé a um homem que nunca viu! Ainda por cima que de equilibrado não me parece ter nada ~(mas nem é isso que está em causa).

amigona disse...

Estamos de acordo desta vez. Completamente de acordo! Também abordei o assunto lá no meu canto...Bom fim-de-semana...

AnaCristina disse...

Andei desaparecida mas voltei e com tristeza vejo esta história. Fui procurar informação porque não sabia do que se tratava.

Parece que hoje a mãe biológica falou em prol da manutenção da criança na família adoptiva, algo que concordo. A Justiça é mesmo cega!

Beijos

Adriana disse...

Para mim, o mais inacreditável foi ver uma colega minha da faculdade como advogada de uma das partes.

maria-joão disse...

Abominável... esta situação.